Sobre ter muitas coisas para falar

janeiro 28, 2016
Tantas coisas para falar e aí quando finalmente eu sento para escrever e abrir esse coração maltratado... As palavras escapam! Talvez tenha sido a pressão que eu coloquei em mim mesma para voltar a blogar neste ano de 2016, que, sem querer, me acabou fazendo criar um blog novo e começar tudo do zero outra vez. Pode ter sido. Ou pode ter sido outra coisa.

Imagem encontrada no Google :)
Tive vontade de contar o que me aconteceu nos últimos dois anos - tempo em que o Grão de estrela, meu antigo blog transitou entre hiatus repentinos e postagens com alto teor de mau humor e desesperança. A vibração do blog estava tão ruim, que cheguei a desativá-lo por algum tempo, até ao ponto em que passei a não ter desejo/necessidade nenhuma de postar.

Tudo começou em 2014.

Eu havia descoberto que um amigo meu tinha largado a profissão para se tornar terapeuta tântrico. Logo depois, ele montou um grupo de atendimento, com pessoas mais jovens, e ofereceu algumas sessões de graça. A experiência foi muito interessante, embora bastante maluca! Da mesma for que eu tive a percepção de mim mesma bastante aflorada, eu comecei a me incomodar com muitas coisas que estavam a minha volta, e eu surtei.

A primeira consequência disso foi ter terminado com um relacionamento de 6 anos de 9 meses. Na época, eu não sabia se era a coisa certa a se fazer, eu apenas ouvia minha cabeça dizendo: faça isso!, e eu fiz. Quis, logicamente, reatar o namoro muitas vezes, mesmo que no fundo parte de mim não quisesse. O que me ajudou (não sei se ajudar seria a palavra certa, levando em conta o que aconteceu depois), foi ter tido uma paixão repentina por outra pessoa que representava o exatamente tudo ao contrário do que era o meu antigo namorado.

Tão repentino quanto veio, foi. Mas em pouco tempo muita coisa aconteceu, inclusive ameaças físicas que me fizeram mobilizar todos os meus amigos para garantir que nada me acontecesse (ou, se chegasse a acontecer, pessoas já saberiam deste perigo iminente).

Cheguei a um nível de medo em que a única coisa que eu podia fazer de concreto, era apelar para Deus. Logo eu, que apesar de ter razoável estudo sobre espiritismo, nunca tive fé.

Houve uma noite/madrugada em que essa pessoa ficou ligando insistentemente na minha casa, e eu chorava, deitada na minha cama, prestes a ligar para a polícia. Eu orei, da forma que eu soube, dizendo que só Deus poderia evitar que algo de ruim acontecesse comigo. E foi muito estranho, porque eu estava de olhos fechados, e o meu quarto foi tomado por uma luz muito forte, que não me deixava abri-los. No mesmo instante o telefone parou de tocar, e eu não tive mais notícias do rapaz até um mês depois.

Coincidência ou não (não me importa o ceticismo dos que não creem), decidi que era minha hora de me reconectar com Deus. Isso vai virar post no futuro, então não vou detalhar agora :) O que vale, para o que quero dizer, é que por conta desta escolha, acabei fazendo muitas outras escolhas que me tornaram uma pessoa com muita paz de espírito. Ter me tornado vegetariana é uma delas - mas isso vale um post também.

Então, quando começou 2015, eu já sabia que ele seria um ano bom, porque pior do que 2014 não seria possível! E sim, de fato, 2015 foi um ano extraordinário. Tão extraordinário que eu não saberia nem falar sobre ele!

O que resultou disso tudo foi: a crença em um Ser maior, uma amizade grande com os meus pais, um emprego de professor efetivo na universidade, uma relação mais saudável com o meu corpo e com o Universo; estou  fazendo terapia, aprendendo a ser mais amável com os meu amigos - principalmente os mais próximos; voltei a estudar piano e - apesar de todo o meu histórico de desconfiança, amplificado pelas experiências relatadas - estou namorado (uma pessoa com sol e vênus em câncer, gente, é muito amor ♥)

6 comentários:

  1. Oi, Natalia! Primeiramente, por acaso você está namorando comigo e eu não sei? Também tenho sol e vênus em câncer, isso me faz bem trouxa, agora amorzinho é uma coisa que eu queria ser um pouco mais (acho que o resto do meu mapa compensa um pouco).

    Não conheci seu blog anterior, mas fico feliz que você tenha voltado! Acho muito engraçado que eu sempre fico esperando essa "fase" de blog passar, mas só vejo nós (blogueiros de longa data) indo e voltando, mas nunca abandonando de vez.

    Achei muito legal você ser vegetariana -- eu sou vegana (tento, pelo menos), mas é bem recente.

    Bem vinda de volta! Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahah x) que coincidência! mas sem dúvida, os outros setores do mapa influenciam!

      obrigada pela visita!
      :*

      Excluir
  2. Nossa, quando li o título do post não acreditei que seriam realmente muitas coisas para falar. Mas pelo contrário, você tem - e muito!
    O ponto que eu queria comentar aqui é sobre o que você relatou sobre o episódio das ligações. Acredito que deve ser horrível passar por isso tudo, mas todos nós passamos por algo terrível assim na vida. E é basicamente nessa hora em que precisamos nos agarrar a algo na vida.
    Eu vejo muitas pessoas sendo céticas sobre uma Divindade (não, realmente não precisa ser o Deus católico mas qualquer Deus que preze o bem é válido) e fico pensando: "O que é necessário para que elas vejam que realmente existe?".
    São coisas complicadas, mas às vezes precisamos passar por essas coisas para que possamos melhorar de vida. Talvez tudo isso que você tenha passado foi uma espécie de caminho para que você pudesse mudar de vida.
    Não sei, realmente não sei. Mas com certeza prefiro enxergar um ponto positivo em certas coisas.
    Beijo,
    paraisodemenina.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se a gente não se apega em nada - nem na esperança de que as coisas vão melhorar - fica difícil aguentar tudo né?

      obrigada pelo seu comentário!
      :*

      Excluir
  3. Ah, a URL não é narcisista, é bom ter a URL com o seu nome, porque aí você pode mudar o nome do blog quantas vezes quiser, porém o link será o mesmo ;) Eu já pensei em parar de blogar também, mas agora to bem longe disso, cai totalmente no vicio, vicio esse que não faz tão mal quanto um cigarro ou drogas né? Então, to bem... hahaha! Que bom que voltou para o blog, porque gostei da sua escrita ;)

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir

Comentar é espalhar amor ♥

Tecnologia do Blogger.